Ações em busca dos objetivos do Milênio.

FONTE: Jornal de Londrina http://www.jornaldelondrina.com.br/cidades/conteudo.phtml?id=1381364

Cidades >>>CAPA        CIDADES      DESENVOLVIMENTO Roberto Custódio/JL

Luis Claudio Galhardi: Londrina Pazeando concorre ao 5° Prêmio ODM

Ações em busca dos objetivos do Milênio.

UEL assinou um termo de cooperação com programa das Nações Unidas que visa, entre outras metas, a erradicação da miséria

13/06/2013 | 00:01   Willian Casagrande

A Universidade Estadual de Londrina (UEL) está oficialmente na busca pelo cumprimento das oito metas de desenvolvimento humano, propostas pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2000. Ontem, a universidade assinou um termo de cooperação com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

A UEL também foi palco do lançamento da 5ª edição do Prêmio Objetivos do Milênio (ODM), que reconhece iniciativas engajadas no cumprimento das metas – erradicar a fome e a miséria; fornecer educação básica a todos; promover a igualdade dos sexos; reduzir a mortalidade infantil; melhorar a saúde das gestantes; combater a AIDS; fomentar o respeito ao ambiente e trabalhar pelo desenvolvimento geral. As metas, que têm o ambicioso prazo de serem cumpridas até 2015 em todo o mundo, são fruto de reuniões realizadas pela ONU nos anos 90.

A reitora Nádina Moreno afirmou que a universidade deve contribuir com projetos de extensão e diversas iniciativas que atinjam a sociedade diretamente. “Uma das iniciativas é o Cursinho Pré-Vestibular (CEPV), que nem é de obrigação da universidade e inclui, com preço acessível e ensino de qualidade, a população de baixa renda no ensino superior público.”

Difundir as metas

O secretário nacional de Relações Político-Sociais, Wagner Caetano – que representou o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho –, afirmou que a escolha por Londrina para sediar o lançamento da 5ª edição do Prêmio ODM ocorreu pelo “grande nível de organização” das entidades municipais, como ONGs, empresas e governos.

“Apostamos na municipalização das metas, para que a população esteja mais próxima disso e tome conhecimento. 90% das pessoas do país não deve saber que essas metas existem”, avaliou. Neste ano, sete cidades do interior, além das capitais, foram escolhidas para receber os encontros. “O Brasil conseguiu um bom resultado na ONU recentemente no cumprimento das metas”, ressaltou Caetano. Entre os avanços, ele destacou o aumento de renda da população, que permitiu amenizar a miséria e ampliar o acesso à saúde e educação pública.

À tarde, o evento prosseguiu na UEL com um workshop de projetos de instituições inscritas no Prêmio ODM, entre elas o Instituto GRPCOM. Instituições que tenham projetos alinhados às metas têm até o dia 2 de agosto para se inscreverem no 5ª Prêmio ODM pelo site www.odmbrasil.gov.br.

ONG londrinense concorre ao prêmio

A ONG londrinense Londrina Pazeando é uma das instituições locais que está concorrendo ao prêmio nacional. O grupo se dedica a estabelecer uma cultura de paz na cidade. De acordo com o coordenador da ONG e integrante do Conselho Municipal de Cultura e Paz (COMPAZ), Luis Claudio Galhardi, o Londrina Pazeando já participou do Prêmio ODM no ano passado, assim como outras 5 mil instituições de todo o Brasil.

Galhardi explica que neste ano o grupo está com a campanha “Arma não é Brinquedo”, em prol da erradicação do que chamou de “cultura bélica” mundial. “Só em 2009, no mundo todo, foram investidos R$ 1,5 trilhão em armamentos. As transações entre os países são todas legalizadas. Para buscar as metas do ODM foram investidos R$ 300 bilhões, um quinto do valor”, criticou. “Devemos incutir, já na criança, a ideia de que a arma não é brinquedo e barrar a cultura da violência”, continuou. Em Londrina, já há uma lei que proíbe a comercialização de armas de brinquedo.

A ONG também tem feito outras ações na cidade em prol da cultura da paz. Uma delas é a entrada dos integrantes em campo, junto dos jogadores do Londrina Esporte Clube (LEC), carregando uma faixa contra a violência. “A faixa tem os dizeres da campanha do governo federal para a Copa do Mundo de 2014”, explicou.

COMENTÁRIOS:

*A quarta (4ª) Edição do Premio ODM Brasil selecionou 51 projetos finalistas e contemplou 20 práticas das 1.638 inscritas, 918 de organizações e 720 de prefeituras.

* Segundo a Global Day of Action on Military Spending GDAMS – Dia de Ação Global sobre Gastos Militares em 2009, todos os oito ODM combinado custa menos do que um quinto dos gastos militares anuais. Ou seja os Gastos Bélicos foram de  U$ 1.530.000.000 ( um trilhão e quinhentos e trinta bilhões de dólares) enquanto os investimentos com os 8 ODM foram de U$ 329.000.000 (trezentos e vinte e nove bilhões de dólares) veja mais em http://www.londrinapazeando.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=591&catid=8&Itemid=56

*A foto no fundo é um grafite na parede do CCH no campus da UEL Universidade Estadual de Londrina, que reflete artisticamente nossa cultura bélica planetária.

 

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.